Quando vamos receber alguém em casa para um jantar e queremos impressionar esta pessoa harmonizando a refeição com algum rótulo especial, é importante levarmos em consideração as características do vinho escolhido. Este cuidado pode fazer a diferença no seu jantar. Aqui no Brasil, os vinhos são classificados quanto a sua classe, teor de açúcar e cor. 

 Cada uma dessas combinações resulta em um tipo de vinho diferente. Não se preocupe se você não faz ideia de como identificá-los. Nós vamos te ajudar agora com um manual de classificações essencial para você impressionar e falar com propriedade quando o assunto for vinho!

Classes

 A classe mais indicada para acompanhar as refeições é a classe dos vinhos de mesa (por isso o nome!). Esta classe abriga a maior parte dos vinhos produzidos no mundo e seus rótulos são resultados da fermentação alcoólica da uva fresca e madura. Seguindo a legislação brasileira, o teor alcoólico desses vinhos deve ser entre 8,6% e 14%. Os vinhos de mesa classificados como doce ou muito doce (de acordo com o teor de açúcar) são excelentes acompanhamentos para a sobremesa!

 

 

Também temos os vinhos leves. Estes vinhos têm seu teor alcoólico entre 7% e 8,5% e são obtidos através da fermentação dos açúcares presentes nas uvas. No Brasil não são produzidos muitos exemplares devido ao baixo teor alcoólico desta categoria. Um bom exemplo de vinhos que costumam entrar nesta classificação são os vinhos alemães.

Os vinhos espumantes são fermentados duas vezes, sendo a última o momento em que a bebida adquire o gás e fica com aquele aspecto borbulhante.

Se você prefere vinhos menos gasosos, pode escolher um vinho frisante. São aqueles com teor alcoólico de 7% a 14% e apenas ligeiramente gaseificados.  Durante a produção de um vinho frisante, a fermentação alcoólica e a toma de espuma acontecem no mesmo processo e por isso eles são menos gaseificados do que um espumante. Estas 2 últimas classes são comumente confundidas por quem está começando a explorar o universo dos vinhos.

A última classe é a dos vinhos licorosos, aquele tipo de vinho que recebe aguardente em seu processo de produção e por isso se torna mais alcoólico. Seus níveis de teor alcoólico variam de 14% a 18% aqui no Brasil. Por este motivo, são chamados de “fortified wine” (em inglês), ou vinhos fortificados. Por conta da quantidade de álcool presente em sua composição, este tipo de vinho geralmente é servido como aperitivo no caso dos secos e meio secos, ou digestivos no caso dos doces ou muito doces.

Mas você não sabe se um vinho é doce ou seco? Não se preocupe! Vamos falar disto agora:

Teor de açúcar

Você certamente já ouviu falar que um vinho é seco. Pois bem, esta classificação diz respeito à quantidade de açúcar presente em sua composição. Os vinhos secos são elaborados com uvas nobres, como a Cabernet Sauvignon e o açúcar presente no vinho provém naturalmente da uva. Estes chegam a ter até 5 gramas de açúcar por litro.

Mas a quantidade de açúcar presente em alguns vinhos pode ser maior. Os vinhos que tem teor de açúcar entre 5 e 20 gramas por litro são chamados de vinhos doces. Ainda sem adição de açúcar, mas produzidos a partir de uvas que tiveram sua colheita tardia, provocando um aumento em sua doçura.

Por fim, podemos classificar um vinho quanto a sua concentração de açúcar, como vinho suave. Estes vinhos são os mais doces porque em seu processo de produção é adicionado açúcar a parte. Estes são produzidos com uvas comuns e não apresentam aquele grande leque de aromas que somente os peritos em vinhos podem sentir. O teor de açúcar destes vinhos ultrapassa 20 gramas por litro. 

 

E vamos agora à classificação mais visível (literalmente) do universo do vinho: suas cores!

Cores

 

Os vinhos são produzidos a partir da fermentação do sumo da uva. Mas quando falamos em uva, é preciso levar em conta que existem cerca de 10 mil castas espalhadas mundo a fora. Estas castas são divididas basicamente entre tintas e brancas. Daí a diferenciação entre os tipos de vinhos.

O vinho tinto é produzido a partir das uvas tintas e no processo de produção a bebida fica em contato com a casca da fruta durante um longo período. A tonalidade do vinho irá variar de acordo com o tipo da uva e também com o método de envelhecimento utilizado.

Já os vinhos brancos são aqueles onde são utilizadas uvas brancas em sua produção. Este tipo de vinho também pode ser produzido a partir de uvas tintas, mas a diferença neste caso é que as cascas das uvas são descartadas no processo de fermentação. Os vinhos brancos têm uma cor dourada e um sabor frutado.

Você deve estar se perguntando: “E os rosés?”. Calma! Nós não nos esquecemos deles! Os vinhos rosés podem ser produzidos basicamente de duas formas: a partir das uvas tintas, inicialmente em contato com as cascas e posteriormente separadas, ou através da simples mistura do vinho tinto com o branco.


Agora que você já aprendeu um pouco mais sobre o tema, que tal testar suas habilidades na próxima edição do evento Grand Hyatt Wine Club?

O Grand Hyatt Wine Club é o evento de degustação de vinhos bimestral do Grand Hyatt São Paulo que traz, a cada novo encontro, temas relacionados ao encantador mundo dos vinhos.

São regiões, cortes, pequenos produtores, bodegas boutique em um ambiente descontraído e elegante, perfeito para conhecer Sommeliers e experts da área, além de compartilhar excelentes momentos entre amigos ou com clientes. Imperdível!