Neste nosso último post de vinhos da Itália, vamos continuar falando sobre os vinhos tintos!

Comentar um pouco sobre leis e zonas produtoras, com destaque para 3 vinhos degustados na noite do Hyatt Wine Club de Março passado.

Os vinhos da Itália caracterizam-se por seus aromas intensos no nariz e uma boa acidez, como já comentamos na semana passada. Se destacam, dependendo da região produtora, as uvas Sangiovese e Nebbiolo, porém foram as clássicas uvas de Bordeaux que levaram os vinhos italianos à fama mundial.

Os vinhos italianos são produzidos fora das leis da época, com uvas não tradicionais para o “país da bota”. Com envelhecimento em barricas novas de roble francês e não com os clássicos tonéis de roble eslovenos que eram usados na época.

No final dos anos 60, o Marquês Piero Antinori tomou conta da bodega familiar e passou a introduzir técnicas modernas para a época, como o uso de tanques de aço inoxidável com temperatura controlada na produção de brancos, malolactina em vinhos tintos e diminuição de rendimento por hectar.

Mas a maior inovação foi iniciar a utilização de cepas clássicas do Vale de Bordeaux, tais como Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc.

Uvas e formas de produção fora das leis da época fizeram com que vinhos de altísima qualidade como Tignanelo, passassem a ser classificados como “Super Toscano” e não mais como “Vinhos de Tavola (de Mesa)”.

Uma família suíça é quem produz este Chianti Clássico da Toscana com guarda de 18 meses em barrica e mais 6 meses em garrafa antes de ir para o mercado.

Um bom expoente de um clássico vinho italiano que se destaca por sua expressão no nariz e o quão suave e elegante se torna ao bebê-lo.

Brancaia Chianti Classico DOGC 2008

 

 

 

 

 

Importadora: Grand Cru
Produtor: Brancaia
Cepa: Sangiovese (95%) Merlot (5%)
Graduação alcoólica: 13.5%
Preço: R$ 98

 

Vinho do Veneto, ao norte da Itália. Interessante assemblage com as clássicas uvas desta região que se caracteriza pela produção de vinhos brancos, fresco de corpo leve e extremamente expressivos no nariz.

Nos tintos, este clássico Valpolicella nos entrega suco com notas herbácias no nariz e presença de um pouco de madeira tanto no nariz quanto na boca. Dependendo do ano de colheita terá alguma porcentagem de Merlot na mescla.

Alighieri Serègo Possessioni Rosso IGT 2008

 

 

 

 

 

Importadora: Mistral
Produtor: Serègo Alighieri
Cepa: Molinara (84%) e Sangiovese (16%)
Graduação alcoólica: 13%
Preço: R$ 86.92

 

A Agrícola Punica foi fundada por alguns dos nomes mais influentes da vitivinicultura italiana, sendo Sebastiano Rosa, enólogo da Sassicaia, um deles.

Colheita manual, envelhecimento em barricas de roble francês por 18 meses e uma guarda posterior em garrafa por outros 12 meses antes de sair para o mercado são algumas das características de produção deste vinho que nos entrega taninos muito suaves e elegantes, aromas de chocolate e café.

Um vinho que necesita de uma grande guarda em garrafa para poder evoluir bem e que foi feito para ser bebido sozinho ou acompanhado de uma cesta de pães e queijos maduros.

Barrua Montessu IGT 2008

 

 

 

 

 

Importadora: Ravin
Produtor: Agricola Punica
Cepa: Carignan (85%), Cabernet Sauvignon (10%), Merlot (5%)
Graduação alcoholica: 14%
Preço: R$ 140

 

Esperamos por vocês na edição de Abril do Hyatt Wine Club para conhecer os Vinhos do Chile.

Nos vemos lá?