Juliana Ramos e seu marido Renato, em agosto de 2009, desfrutaram uma excelente temporada em Istambul, na Turquia e vão dividir com a gente um pouco desta experiência cheia de cores, aromas, cultura e muitas curiosidadesDescubra pelas palavras e fotos de Juliana e Renato um pouco mais sobre esse país encantador!

Arquivo Particular

Arquivo Particular

O que mais gostamos em Istambul

Quando chegamos em Istambul, nos sentimos em casa. Não só pelo clima, que em agosto é bem  parecido com um outono normal de São Paulo (na época em que existiam estações normais, é  claro), mas também pela receptividade das pessoas, que, assim  como nós, são acostumadas com uma baguncinha. Abaixo, sem  nenhuma ordem cronológica ou alfabética, algumas das coisas  mais legais que fizemos nesse país apaixonante.

Grand Bazaar, Istambul
Para o nosso primeiro passeio na Turquia, decidimos passar uma manhã no Grand Bazaar. Um imenso labirinto de lojinhas, restaurantes, workshops, bancos e, claro, um  exército de incansáveis vendedores que não param de  tentar vender alguma coisa. Basta um contato visual para que eles perguntem: “where are you from?”, lhe ofereçam um  Çay (chá) ou um Apple Tea e, depois de dois minutos e alguns “Ronaldo!” e outros “Samba!”, eles ses tornarem seus  melhores amigos e tirarem uma foto com você.

Ficamos mais de 3 horas zanzando pelo mercado e tiramos dezenas de fotos curiosas. Resistimos  bravamente e não compramos praticamente nada! E olha que o lugar tem mais de 4.000 lojas!  Ali do lado mesmo fica também o Spice Bazaar, onde você se delicia com os tradicionais doces  turcos e experimenta o potente (dizem) Viagra natural! Não ali, claro, mais tarde, no hotel.

Arquivo Particular

Arquivo Particular

A Mesquita Azul, Istambul
A muita mais famosa da cidade foi construída pelo Sultão Ahmet I entre 1603-17. Trata-se de uma  incrível construção projetada para impressionar pelo seu exterior. Sendo assim, há diversos pontos  ao seu redor que rendem fotos incríveis e onde  você pode admirar as curvas e proporções da mesquita. O nome vem das dezenas de milhares de azulejos azuis que a decoram. Há uma entrada específica para turistas, no lado  sul, que está sempre lotada – mas a fila até que é  organizada.  Os arredores da Blue Mosque são bem legais  ambém de se conhecer, a pé mesmo, com diversos workshops, artesanatos e antiquários.

Arquivo Particular

Arquivo Particular

Aya Sofia
A Catedral da “Santa Sabedoria” foi construída praticamente mil anos antes da Mesquita Azul, durante o Império Romano (Justiniano). Foi convertida em mesquita em 1453 por Mehmet, oConquistador, e assim ficou até 1935, quando  Atatürk (o fundador da República da Turquia) a proclamou como um Museu. Diferente da mesquita vizinha (Aya Sofia e a  Blue Mosque ficam frente a frente), a catedral  impressiona muito mais por dentro. As soluções estruturais para manter o grande domo central são mais elegantes e dão a impressão de que ele flutua, mas na verdade os pilares estão embutidos nas paredes. Há vários detalhes arquitetônicos para se apreciar  na Aya Sofia, além das decorações cristãs e  muçulmanas coexistindo sem problemas. Sendo assim, acabamos passando um bom tempo ali.

Balão na Capadócia
Apesar de não ser em Istambul, esse foi, com  certeza, o mais bonito, legal e prazeiroso passeio  que fizemos não somente na Turquia, mas talvez  em toda nossas vidas (sim, é bem mais legal que a  montanha russa do Aerosmith, na Disney). O acontecimento começa às 4:30 da manhã, quando um rapaz turco vem te buscar no hotel e você, passado de sono, simplesmente obedece. O horário ingrato, por outro lado, tem uma razão:  assistir ao nascer do sol numa das mais incríveis paisagens da natureza: a Capadócia e para completar a mil metros de altitude!  Quando os responsáveis pela companhia de balões começam a soprar ar quente pra dentro da bolha  gigante, você olha para a cestinha que leva 20  pessoas e pensa: “essa coisa não vai subir nunca!”, mas, de repente, como num elevador, o balão  começa a subir calmamente e você vislumbra uma  paisagem quase alienígena (não é à toa que George Lucas gravou algumas cenas de Star Wars por lá). As estranhas e lúdicas formações rochosas, causadas pela erosão da chuva, neve e vento, vistas de cima, dão a impressão que uma criança gigante andou brincando de escultor por ali.

Arquivo Particular

Arquivo Particular

Galata Tower, Istambul
A Torre de Galata é uma das mais antigas do  mundo. Construída no ano de 528 como um  farol, foi destruída em 1794 por terremotos e incêndios e reconstruída para servir de ponto de observação militar e, ironicamente, detectar focos de incêndio. Depois de pagar pela entrada, você sobe de elevador até o topo, onde tem um restaurante. É possível caminhar ao redor de toda a torre e ter uma das  mais privilegiadas vistas de Istambul, o que rende, também, ótimas fotos!

Arquivo Pessoal

Arquivo Pessoal

Topkapi Palace
Esse palácio tem mais histórias do que todos os palácios reais do mundo juntos. Ali viveu, por exemplo: Selim, o Bêbado, que se afogou depois de encher a cara de champagne; Ibrahim, o Louco, que perdeu a razão depois de ficar preso por 22 anos por seu irmão Murat IV e a malévola Roxelana, ex-concubina que acabou se tornando esposa de Suleyman, o Magnífico. O palácio foi a moradia oficial dos imperadores otomanos de 1453 até o século XIX, quando foi construído o suntuoso palácio de Dolmabahçe, já em estilo europeu. Hoje ambos são museus e revelam muito da vida luxuosa dos sultões do Império Otomano. Vale a pena passar uma manhã ou uma tarde inteira no palácio, que é riquíssimo em detalhes.

Hamam
Depois de correr pra lá e pra cá o dia todo, tem uma coisa que vale muito a pena experimentar um tradicional banho turco, chamado Hamam. Acabamos indo no Çemberlitas Hamami, que, provavelmente, é um pouco mais caro por ser de fácil acesso aos turistas, mas de qualquer forma valeu muito a pena e acabou sendo uma das experiências mais estranhas que tivemos. Afinal, o esquema se resume em ser banhado, esfoliado e massageado (alguns dizem surrado) por outra pessoa do mesmo sexo. Primeiro, você se deita numa laje de pedra quente e relaxa como numa sauna, pra que seus poros se abram. Depois de um certo tempo, um turco grande de  bigode (ou uma grande mulher turca, se for o caso),  aponta pra você, te manda sentar na pedra e aí começa o  banho. Brincadeiras óbvias à parte, o banho turco é extremamente relaxante e revigorante, e com certeza é uma das coisas que você tem que fazer em Istambul!

Para completar esta experiência inesquecível na Turquia, hospede-se no tradicional Grand Hyatt Istambul ou no exclusivo  Park Hyatt Istambul.

Leia mais e saiba mais sobre Istambul, Turquia, na matéria da revista ELLE (edição 10/07/2010).